Déficit hormonal na melhor idade

Déficit de hormônio

Para nosso corpo funcionar plenamente, nossos hormônios, vitaminas, minerais e aminoácidos devem estar em equilíbrio. Se não houver equilíbrio nestes setores a saúde começa a se deteriorar.

É a partir dos 30 anos de idade , aproximadamente, que os hormônios começam a baixar seus níveis entrando em déficit funcional e metabólico. Mas isso pode ocorrer mais cedo devido a um stress grave ou cirurgia, ou pode ocorrer mais tarde porque o individuo cuida muito bem de sua saúde.

Não existe um sequencia cronológica absoluta para os hormônios falharem, mas geralmente começa com os hormônios produzidos na hipófise, como a pregnenolone e do HGH; em seguida vem o cortisol e o SDHEA, e depois vem os hormônios sexuais. Os hormônios tireoidianos podem sofrer alterações em qualquer fase da vida.

Quando ocorre diminuição dos níveis de pregnenolone, o individuo começa a sentir uma perda de memória, da capacidade de concentração e do raciocínio. Sentimos que é necessário um maior esforço para aprender coisas que antes eram bem mais fáceis. Ler um livro começa a ficar difícil, gravar nomes e fisionomias, tomar decisões… Mas é claro que não é só a pregnenolone quem está envolvida nestes processos. Diversos outros hormônios também estão envolvidos, como a dopamina e neurotransmissores como a serotonina; mas todos eles dependem da produção ideal de pregnenolone.

Quando o HGH (ou hormônio do crescimento) sofre diminuição dos seus níveis ideais, nós começamos o longo processo de envelhecimento. Este é o hormônio responsável por toda regeneração do nosso corpo. Ele é produzido no cérebro e liberado durante aproximadamente 17 minutos do sono profundo e apenas quando estamos em jejum de pelo menos 3 horas é que somos capazes de absorvê-lo. Por isso é importante só dormir após 3hs depois do jantar, e fazer um jantar bem leve e pobre em carbohidratos. Um corpo com baixos níveis de HGH, parece e sente-se bem mais velho do que na verdade é. São pessoas que se comportam como velhos , têm doenças próprias da terceira idade e um desânimo profundo. Ocorre tbém uma degeneração da musculatura e aumento da massa gorda.

Quando o cortisol está com níveis séricos muito baixos do ideal, isso mostra que o paciente esteve em situação de stress prolongado e que agora desenvolveu fadiga crônica. (Mais informações sobre o Cortisol aqui). Alterações graves do nível de cortisol podem causar doenças inflamatórias crônicas, deficiência imunológica, dores crônicas pelo corpo e aumento do apetite.

Outro hormônio importante é o SDHEA, pois ele é responsável pelo vigor físico e pela produção da estosterona na mulher. Quando seus níveis estão abaixo do normal ha um decréscimo na força física, no vigor, no tônus muscular, e tudo isso se reflete no bem estar geral do paciente, podendo mesmo simular um quadro depressivo.

Quando ocorre a diminuição dos hormônios sexuais, seja na mulher ou no homem, os sintomas são bem parecidos: ondas de calor intenso, grande variação do humor, depressão, irritação, aumento do peso e diminuição da libido. Tudo em consequência da menopausa (mulher) e da andropausa (homem).

Para tratar estes desequilíbrios hormonais é muito importante procurar ajuda médica. É extremamente perigoso fazer reposição hormonal por conta própria. O médico vai dosar estes hormônios e avaliar o quadro metabólico do paciente fazendo uma reposição compatível com as necessidades pessoais de cada um.

Hoje em dia a forma mais segura de fazer isso é usando apenas hormônios bioidênticos. Estes hormônios são produzidos para serem absolutamente iguais aos dos seres humanos e por isso não causam efeitos colaterais nem reações adversas.

O tratamento de várias alterações hormonais é feito de forma progressiva e cuidadosa, e o médico sempre vai sugerir mudanças saudáveis de hábitos e acompanhamento rigoroso das dosagens hormonais através de exames laboratoriais.
O resultado é sempre muito positivo, e particularmente nunca tive uma experiência negativa a este respeito. Considero esta forma de diagnosticar desequilíbrios e de promover saúde um dos milagres da ciência.


Foto: Pierre Amerlynck

Comments

  1. Dédima vieira de souza Oliveira says:

    Gostei muito dessa matéria. Estoou nessa fase e pude obter informações muitíssimo importantes. Espero receber mais.
    Abraço

  2. Maria Helena Carvas says:

    Dra. gostei desta pauta sobrea melhor idade creio que para mim e para minha irmã será de grande valia.
    espero receber mais artigos sobre a saúde na Melhor Idade.
    Maria Helena

  3. Tarciza says:

    Amei suas matérias e estou divulgando à outras mulheres. Parabéns pela escolha das pautas sempre tão atuais e úteis, verdadeira prestação de serviço público. Abraços

  4. Sheila Soares Pinto de Carvalho says:

    Marquei consulta com a Dr Isabela para 27.1.2012. Estou animada, pois me identifiquei em vários aspectos. Tenho 37 anos e desde os 25 anos de idade venho tendo problemas de saúde. O primeiro deles foi hipotiroidismo e o outro atrite reumatóide. A partir dos 25 anos de idade comecei a engordar e hoje estou 10 quilos acima do peso ideal (tenho 1,60m e 67Kg), Meu humor também foi afetado e oscila muito. Após ver a reportagem hoje (20.1) imediatamente liguei no consultório para marcar consulta. Tenho a esperança de ter encontrado a solução para meus problemas, pois não aguento mais ficar patinando entre um médico e outro sem resolver definitivamente a situação.

    • Arlete says:

      Ola Sheila,
      assim como voce, tambem me identifiquei com varios aspectos descritos pela dra Isabela. Gostaria de saber como foi a consulta e como esta se sentindo. Tambem nao aguento mais passar por varios medicos e nao obter melhora alguma.

      Abraco,

      Arlete

  5. Simone Oliveira says:

    Dra, como sempre, adoro suas pautas. Elas são mto valiosas para nós mulheres.
    Parabéns pelo excelente trabalho.

    Feliz Ano Novo!!!

    Grande abraço!!

Comente aqui

*