Cortisol – o hormônio do stress, das inflamações e do sobrepeso

Stress

Comenta-se sempre sobre como o stress compromete a saúde. Mas afinal, o que é o stress? O stress é o estado de alerta em que o organismo entra ao se deparar com algo que requeira mais esforço ou concentração. Por exemplo: quando um professor questiona um aluno, ele entra em stress para se concentrar e responder a questão; ou, quando uma mamãe ouve um bebê chorando, ela entra em stress para saber o que ele precisa.

Estes são exemplos de stress bom, o tipo de stress normal que todo mundo enfrenta e que faz bem à saúde porque mantém o cérebro estimulado e ativo. Mas quando o stress faz mal?

O stress faz mal quando se prolonga por mais tempo que o necessário, ou quando não se justifica havendo excesso de trabalho e de responsabilidade. Por exemplo: quando um aluno vive preocupado com seu rendimento escolar sem motivos, ou porque sofre abusos do professor; ou, quando a mãe vive apenas para cuidar da criança, sem horário de descanso nem tempo para si mesma; ou, quando eventos graves ocorrem, como abuso físico ou psicológico, acidentes ou doenças graves.

Os eventos acima citados estimulam por tanto tempo o cérebro que causam um desequilíbrio químico, o que prejudica o funcionamento perfeito do organismo.

Cortisol

Como o stress prejudica a saúde?

O stress provoca um aumento da produção do cortisol, um hormônio que é de extrema importância para o funcionamento perfeito do nosso corpo. O cortisol controla nosso biorritmo, reduz nossas inflamações e estimula nossa imunidade. Quando os níveis de cortisol estão baixos (“cortisol baixo”), sentimos dores constantes, inflamamos por qualquer motivo e desenvolvemos um cansaço muito além do normal. Esse cansaço é chamado fadiga crônica.

O método mais comum de identificar o nível de cortisol é via exame de sangue, que deve ser coletado em estado de repouso e tranquilidade. Geralmente os laboratórios só realizam os exames antes das 9 horas da manhã, não mais que uma ou duas horas depois do paciente ter acordado. A coleta domiciliar (quando disponível para este exame) permite resultados mais confiáveis, já que evita-se preocupações com o trânsito, por exemplo.

O mecanismo funciona assim: no início do stress, a adrenal aumenta a produção de cortisol, mas com a permanência do estímulo a própria glândula se dessensibiliza e a produção de cortisol começa a diminuir. O corpo percebe isso como se não pudesse mais descansar. Para ele, cortisol baixo é como se não houvesse mais diferença entre dia e noite e o estado de alerta fosse constante. Com a persistência do quadro, surgem os problemas mais graves: insônia, depressão, obesidade, fibromialgia, fadiga crônica, aumento do risco de enfartes, AVC, trombose e uma considerável baixa de imunidade.

A insônia é causada pelo constante estado de alerta, que não permite ao corpo descansar nem relaxar sua musculatura. O descanso com o sono é obtido apenas a partir da oitava hora de sono. Imagine que, para quem mora no Brasil, isso corresponderia a dormir às 11 horas da noite só querer acordar depois das 9 da manhã.

A depressão é consequência da baixa produção de serotonina, afinal a serotonina é produzida apenas durante o sono profundo, o que não ocorre quando nosso cortisol está muito baixo.

A obesidade está correlacionada à depressão pois, quando a produção de serotonina é baixa, a percepção da saciedade também é diminuída e isso causa um grande aumento de apetite, associado a uma grande retenção hídrica. O organismo apresentará um apetite voltado para os carboidratos que são ricos em serotonina, mas infelizmente, são extremamente calóricos.

A fibromialgia é consequência da insônia. Quando o corpo permanece em alerta constante, os músculos não relaxam e, com o tempo, formam nódulos contraídos extremamente sensíveis à dor. Esta é uma das patologias mais graves causadas pela baixa de cortisol, pois limita muito a qualidade de vida de seu portador.

O aumento do risco de infarto, AVC e trombose ocorre por uma reação inflamatória dentro das artérias, que começam a se obstruir mesmo que não haja gordura, levando à ocorrência destas isquemias mesmo em pessoas magras e/ou atletas.

Já a imunidade baixa é o primeiro sintoma perceptível com a baixa de cortisol, porque nenhum surto de resfriado passa despercebido pelo paciente. É sempre a garganta inflamada, uma crise alérgica ou pequenas doenças correlacionadas.

Como devemos lidar com o stress?

Em primeiro lugar, é preciso qualificar esse stress para saber se ele é do tipo bom ou ruim para nosso corpo. A forma mais fácil de avaliar é através da equação: STRESS + VIDA ATUAL = FELICIDADE ou DOENÇA.
Exemplos:
Cuidar do filho + Vida Atual = Felicidade de ser mãe
Maternidade + Vida Atual = Depressão pós-parto

Se a resposta é felicidade, então esse stress, por mais inconveniente que seja, é benéfico ao seu organismo. Mas, se a resposta resulta em alguma forma de doença ou mal-estar intenso, então esse stress está prejudicando seu organismo.

Como tratar o stress ruim?

Em primeiro lugar, deve-se avaliar o quanto o stress está comprometendo a saúde física do corpo. Se já houver desequilíbrio hormonal e sinais inflamatórios é preciso tratá-los em primeiro lugar, pois só então o paciente terá forças para tratar as questões emocionais correlacionadas. É sempre importante enfatizar que para o tratamento do stress é preciso tratar primeiro o físico para depois tratar o emocional.

O tratamento pode levar de seis meses a dois anos para que o organismo atinja o seu equilíbrio ideal. Mas se a fonte de stress permanecer, então o tratamento deverá ser contínuo.

Foto: Marek Bernat

Comments

  1. Norma Mariotto Ferreira says:

    Estas informações foram extremamente valiosas,me identifiquei com vários dos sintomas descritos. Vou compartilhar com a minha médica para fazer o exame que detecta o nível de cortisol. Obrigada .
    Norma Mariotto Ferreira.

  2. Rosemere da Silva says:

    Boa tarde
    E quando o nivel de cortisol estar muito alto o q acontece ???

    • Isabela Lins Costa Fonseca says:

      O cortisol quando esta muito alto indica que a situação de stress está acontecendo agora e frequentemente, isto facilita para que o paciente possa detectar a verdadeira fonte de stress. J avi diversos casos de pacientes que achavam que o stress era causado por algo grave e intenso que estava acontecendo, mas na verdade era causado por algo mais subjetivo, como uma agressão verbal constante ou sono irregular…
      Saiba que um cortisol acima de 24, indica que seu corpo está vivendo no limite, e isso não consegue ficar assim por muito tempo, em breve esta glandula entrará em falencia e estes niveis vão baixar drasticamente, trazendo todas as complicacões que ja sitei anteriormente. A situaçao é grave e precisa de tratamento sim. Uma das melhores substancias para tratar é um composto chamado Relora, e eu particularmente vi excelentes resultados quando o tratamento medicamentoso é acompanhado por psicoterapia ou meditação.Procure seu medico e veja o que é mais adequado para você.

  3. Olá boa noite
    Estou com o cortisol muito baixo ..em dezembro pretendo fazer uma cirurgia para aumento das mamas
    Com esse cortisol baixo poderei passar por esse procedimento ???
    Desde já agradeço

    • Isabela Lins Costa Fonseca says:

      O cortisol baixo e causar espessamento da cicatrização, e também vai comprometer sua resposta imunológica, por isso é importante fazer uso de reposição de vitaminas e minerais, principalmente as A,D e comp. B, e ZInco e selenio, pois eles ajudam a controlar estes efeitos, e um dia anates ou durante o procedimento cirurgico pode ser administrado um corticoide pra comprometer a cicatrizaçáo. É claro que fica bem mais facil simplesmente repor cortisol, mas é imprescindivel so fazer qualquer uma destas coisas com acompanhamento médico, pois em doses erradas estas substancias são prejudiciais a saúde.

  4. isabel dos santos emilio emilio says:

    excelente, agora confirmei que a baixa no meu cortisol ta explicado,obrigado dra.Isabela a sra foi um anjo to me conhendo melhor.

  5. Joana Rocha says:

    Boa tarde Dra.Isabela

    Antes de mais quero agradecer por este excelente artigo e por todo o cuidado e seriedade que manifesta.
    Contacto-a pois foram-me descobertos uma série de problemas hormonais, sendo um deles um elevado cortisol.
    Estou a fazer a seguinte medicação: ciproterona (1/4comprimido nos primeiros 10 dias da pílula) + Pílula yaz (medicação portuguesa)
    De facto o meu cabelo deixou de cair e os pelos na face desapareceram, contudo desde que faço esta medicação estou a ficar “louca” sinto-me miserável, infeliz e tenho momentos de fúria, esgotando a paciência dos que me são próximo e me querem bem.
    Para além disso, há duas semanas tive uma convulsão a meio da noite, poderá ter alguma ligação? Enquanto adolescente fui medicada como epiléptica, pois tinha frequentemente convulsões, mas a verdade é que tanto ressonância como eeg nunca deram como certo a epilepsia. Agora já ponho em causa, tudo isto estar relacionado com a minha parte hormonal….

    Sei que está longe e não poderá ser minha médica, mas agradeço um comentário à minha situação. Se eu antes já tinha este quadro de pessoa triste, mas que conseguia disfarçar, agora não consigo, sinto-me desesperada, infeliz e por vezes, receio fazer-me mal.
    Para além disto tudo, como a descoberta dos meus problemas hormonais sei que muito dificilmente vou conseguir ser mãe, o que agrava ainda mais o meu vazio, tristeza e revolta….

    Fico a aguardar,
    Um muito obrigada
    Joana

    • Isabela Lins Costa Fonseca says:

      Me desculpe a demora para responder sua pergunta,mas tive problemas com o site e algumas perguntas se perderam…
      Bom, primeiro de tudo, se vc tinha convulsões na juventude é bem provavel que vc seja epilética sim. A epilepsia nem sempre é detectável por exames, e as convulsões do tipo tonico clônicas são bem caracteristicas da doença. A melhor forma de diagnosticar epilepsia é atravez do mapeamento cerebral, feito com avaliação de repouso, vigília, e estimulação visual (luzes que piscam).
      Este exame mostrará como anda a parte eletrica do seu cerebro, omque é fundamental para o seu quadro, visto que seus sintomas parecem muito com os da epilepsia de pequeno mal. Mas para ter certeza disso so com exames e avaliação medica.
      Se vc for epiletica, então so o fato de ter suspendido o tratamento, pode ser o fator para todo stress do seu corpo. Como vc tbém não se sentiu bem com o trataemnto com o topiramato pode ser que isto tenha agravado o quadro. Parece- me que vc está depressiva, e que além disso tem outras doenças correlacionadas. Sugiro que vc procure um medico que possa investigar aprofunadamente todo o seu caso para que vc tenha opçoes diferentes de tratamento. Se precisar de mim estou asua disposição na clinica skin laser- São Paulo.

  6. uende botelho says:

    Muito bom gostei das informações ….não sabia q o cortisol fazia tudo isso, vou fazer os exames pois acho q isso é meu prblema…

  7. Mareli Morais says:

    Adorei esta materias, e disponibilidade da grande dr. em prestar estes esclarecimentos preciosos a sociedade. Parabens a dra Isabela, e de profissionais assim competentes e que nos precisamaos

  8. denise says:

    Excelente blog. Abs

  9. Ducy Caosme says:

    Parabens por seu trabalho !

  10. Francisco Ávalo de Carvalho Junior says:

    Meus parabéns, por sua profissionalidade, que com certeza, avança para um idealismo.Sofri mais de vinte anos com depressão/ansiedade/síndrome de pânico. Perdi e deixei de ganhar alguns milhões de dólares(sem exagero);
    Só me consultei com profissionais de ponta, na área da psiquiatria/analistas das mais variadas linhas, cognitiva,etc…,jamais algum se interessou em verificar outras alternativas que eventualmente pudessem estar causando os distúrbios.Sempre relatei que sou vegetariano,o que deveria servir de pistas para ser verificado se haveria algum deficit de alguma substância que poderia ser causa desses males.Tomei tudo quanto é tipo de antidepressivos e ansiolíticos, conheço todos. Nada resolveu meu problema. Recentemente, pesquisando por conta própria, depois com auxílio médico, descobri que tinha deficit de B12,Zinco,Vit. D, e estou na expectativa do resultado de outros exames que fiz recentemente, inclusive o de nível de cortisol matinal. Resumindo, só com as reposições das vitaminas e minerais relatados, parei com tudo…antidepressivos/ansiolíticos e melhorei àqueles sintomas todos em mais de 60%, mas sei que a recuperação é gradativa… Gostaria de fazer um acompanhamento geral da minha saúde com alguém de confiança(confiança esta que vc.me inspirou) é possível? Quero voltar ao que era , saúde 200%, nunca houve barreira grande o suficiente para me segurar, tamanha minha saúde física e mental, que por um vacilo, (virei vegetariano sem nenhum cuidado) continuo sendo, mas agora estou “esperto” e espero virar “expert”nesse negócio. Desculpe, sei que me alonguei,mas é um desabafo de quem sofreu anos à fio e perdeu muito não só materialmente falando, mas em outros
    segmentos da vida também. Obrigado pelo trabalho postado.

Comente aqui

*